Notícias da TV, Novelas, Segunda Tela e muito mais!

Acabou “O Outro Lado do Paraíso”, que outra dessa não se repita

Final da trama mais parecia um "Circo dos horrores"

E acabou a novela O Outro Lado do Paraíso, que também poderia se chamar: “O Outro Lado do Walcyr Carrasco“. Chega a ser assustador saber que o renomado escritor,  de tantos sucessos como  “Chocolate com Pimenta” e “Alma Gêmea”, pode escrever cenas tão toscas, núcleos tão desnecessários e até fazer Glória Pires irrelevante na história? Como pode?

Desde o início, o autor mostrou que não estava pra brincadeira, antes comparada com novela mexicana (nada contra gosto de algumas), acredito que ele quis superar e acionou o botão: “O público é bobo”.  Sim, este blog leva em conta a grande audiência, mas é claro que isso nunca significou qualidade.  Vários outros produtos da concorrência e até mesmo da própria Globo estão aí pra comprovar isso.

Mas chamo a atenção para o último e tão importante capítulo de uma novela, ainda mais das nove, e na emissora líder de audiência.

O que foi aquele julgamento de Sophia (Marieta Severo)? onde até os atores pareciam mais com cara de: “encerra logo isso!”. Mas aí vem o desfile que deveria coroar a carreira de Beth, bem não sei da personagem, mas a de Glória Pires, com certeza não foi.

Mas vamos as participações especiais, muito aproveitas, com um sorriso da Gleici e outro da Ana Furtado. Quem salvou mesmo foi a Pabllo Vittar, além de cantar num velório, fez um milagre. Sim, ela levantou um defunto, Dona Caetana, vivida pela grandiosa atriz Laura Cardoso.

Essa brilha até subindo pra o céu, em uma das cenas mais bizarras que já vi, em pouco tempo escrevendo sobre TV.

Mas calma nem tudo foi tão ruim, devo dizer que o trabalho técnico foi extremamente caprichado, fotografia, externas … O diretor Mauro Mendonça Filho deve mesmo ser bem aproveitado na casa, soube tirar “leite de Pedra Santa” (se achou o trocadilho infame, provavelmente não prestou atenção nas falas de alguns personagens da novela).

Agora vem o “Segundo Sol” do João Emanuel Carneiro, mas acho que é a segunda chance da Globo. Para ela a audiência está atrelada a publicidade, isso é ótimo. Mas o público não é só formado pelos mais de 40 pontos, queremos histórias encantadoras, aliás, queremos NOVELAS.

As opiniões contidas nesta coluna são de responsabilidade do autor e não corresponde, obrigatoriamente, a linha editorial do Portal Alta Definição.

Quer receber nossas atualizações em seu dispositivo? Inscreva-se agora.

Comentários
Comentários Carregando

Send this to a friend